Acordei de ressaca e agora?

Nutricionista explica riscos do consumo excessivo de álcool, medidas para amenizar
o mal-estar e alternativas para beber sem comprometer a saúde

Não tem dia e nem hora marcada, mas basta chegar o fim de semana para os brasileiros confraternizarem com amigos e familiares bebendo uma cervejinha. Porém, nem sempre o consumo de bebidas alcoólicas é moderado e isso pode se tornar um problema para quem costuma exagerar na dose. Mas, será que esse é um bom motivo para comemorar?

Mal-estar e dor de cabeça são sinais de ressaca

A nutricionista do Fort Atacadista Letícia Tizziani, explica que a ressaca é um alerta do organismo. “Quando o corpo está intoxicado, recebemos diversos sinais, como mal-estar, enjoo, sensibilidade à luz e aos ruídos, boca ressecada, sede, falta de apetite e dor de cabeça, nos olhos, no estômago e no corpo. Em casos mais graves de envenenamento por álcool, ela pode até matar. Então, controlar o consumo e manter cuidados especiais é indispensável”.

Para tratar a ressaca, a primeira dica é beber bastante água. As bebidas alcoólicas têm efeito diurético e, por consequência, aumenta a eliminação de líquidos pela urina, provocando uma desidratação. “Outra estratégia que pode ajudar o corpo a se recuperar mais rápido é intercalar o consumo de água e de álcool. Portanto, beba uma dose de cada. As pedras de gelo na bebida também podem ser alternativas, já que você passa a ingerir uma porcentagem de água misturada nos drinks. Essas são recomendações simples, mas que fazem toda a diferença na prevenção e na recuperação do organismo”, destaca a nutricionista.

Nutricionista afirma que a ressaca é um alerta do organismo

Uma dúvida comum é a função dos doces na ressaca. É mito ou verdade? Comer um docinho ajuda amenizar os sintomas? Letícia afirma que a glicose contribui para a eliminação do álcool no organismo. “A resposta é sim! Se o açúcar for natural, o efeito é maior. Opte por frutas como o melão e a banana. A primeira opção é composta parcialmente por água e ajuda a hidratar o corpo. Já a segunda é rica em vitaminas e minerais, que auxiliam na redução dos sintomas, principalmente da azia. Se preferir beber suco, aposte nas frutas cítricas, como laranja e abacaxi com hortelã”.

A alimentação também necessita de cuidados para evitar que os sintomas se arrastem pelo resto do dia. Por isso, a nutricionista recomenda refeições leves e com pouca gordura. “Dê preferência a alimentos ricos em água, como melancia, água de coco e chás ou sucos naturais que auxiliem na recuperação do organismo. O ovo e o chá de gengibre são excelentes escolhas no processo de desintoxicação. Também são opções o macarrão, que é rico em carboidratos, a abóbora, que atua para o bom funcionamento do sistema digestivo, e as folhas verdes escuras, que ajudam a desintoxicar o organismo”.

Para quem gosta de saborear bebidas fermentadas, mas quer evitar a ressaca, pode optar por cervejas sem álcool, que também podem ser apreciadas por grávidas, pessoas em tratamento médico e motoristas. “A cerveja sem álcool é antioxidante, ou seja, retarda o envelhecimento celular, é menos calórica, contém vitaminas do complexo B, tem ácido fólico responsável pela manutenção do sistema neurológico e funciona como isotônico. Pode ser encontrada facilmente com diferentes marcas no Fort Atacadista”, orienta Letícia.

Postar um comentário

0 Comentários