Hospital Estadual de Luziânia oferece tratamento ambulatorial pós-covid

Pacientes que tiveram alta podem ter atendimentos médico, psicológico e fisioterapia


O período após contaminação e internação devido à covid-19 pode ser marcado por problemas físicos e psicológicos e, pensando nisso, o Hospital Estadual de Luziânia (HEL) passou a oferecer tratamento também para os pacientes que já tiveram alta em sua unidade hospitalar. O atendimento teve início como um piloto no dia 29 de dezembro, ainda no ano passado, e agora passa a funcionar regularmente.

Para participar do projeto ambulatorial, o paciente deve ter tido alta nos últimos 30 dias. No primeiro momento, o programa é exclusivo para quem esteve internado na unidade. O atendimento fisioterapêutico funciona toda as quartas-feiras.  A taxa de adesão de quem ficou internado é de cerca de 90%.  Já os cuidados médicos e psicológicos tiveram um índice de 60% dos pacientes advindos da UTI e 40% da enfermaria.

Para a fisioterapeuta Patrícia Vasconcelos, o resultado já obtido é considerado excelente. “Foi de extrema satisfação, tanto pessoal quanto profissional, ver e acompanhar o progresso da reabilitação dos pacientes. Me sinto realizado em notar os resultados satisfatórios que estamos tendo com o ambulatório”, contou. Nesse período de teste e funcionamento, o projeto ocorreu dentro do previsto, auxiliando possíveis sequelas de quem passou pelo hospital. Na fisioterapia, o resultado já colhe seus frutos, tendo pacientes recuperando funções motoras que possuíam antes da contaminação.

Todo acompanhamento é adaptado às necessidades de cada paciente, sendo realizada uma avaliação no começo do tratamento para definir a melhor forma de realizar os cuidados oferecidos. Para o diretor-geral do Hospital, Francisco Amud, tal iniciativa é de extrema importância para Luziânia e toda região. “Nosso objetivo foi sempre oferecer o melhor atendimento possível para que nossos pacientes pudessem se recuperar da doença. Agora também queremos auxiliar nos cuidados pós-covid, onde algumas sequelas podem existir”, explica.

Se o paciente queira participar do programa, deve-se procurar a equipe de psicologia ou de fisioterapia da unidade. O ambulatório está realizando atendimentos todas às quartas-feiras.

Postar um comentário

0 Comentários