“Eu só não morri por um milagre”, diz servidor público após acidente de trânsito

      

 “Eu só não morri por um milagre”, diz servidor público após acidente de trânsito

 

O homem, de 60 anos, conta como foi a experiência que o fez perder um pé num acidente de moto

 

Cerca de 90% dos acidentes no trânsito em 2020 aconteceram com motociclistas, segundo levantamento da Polícia Rodoviária Federal. A maior parte foi provocada por comportamentos ou atitudes humanas. Mesmo assim, aspectos da via ou mau funcionamento do veículo também são apontados como causas. Foi o que aconteceu com o servidor público David Pires, 60 anos, há quatro anos.

 

A falta de iluminação pública em uma via fez com que David perdesse o pé em um acidente automobilístico. “Eu só não morri por um milagre, um propósito muito grande na minha vida”, relata. O acidente aconteceu em maio de 2016, após sair de uma festa e entrar em uma via sem sinalização ou iluminação próxima ao local. “Eu não bebo há 16 anos, então, nem tem a desculpa de ter misturado bebida e direção. Porém, acabei colidindo com o meio-fio, porque o farol da minha moto não era muito bom. Freei bruscamente, caí. Quebrei a tíbia e o ombro, tive esmagamento no calcanhar e tornozelo, quebrei as duas patelas dos joelhos. A minha bacia e a pelve foram separadas brutalmente”, conta.

 

O servidor público revela que foram momentos angustiantes até chegar ao Hospital Brasília. “Os médicos tentaram de tudo para recuperar meu pé, mas não deu certo. Eu aceitei que não era mais para eu ficar com esse pé, e falei ‘arranca logo’. Quarenta dias depois da internação, eu assinei os papéis, amputei e fiquei lá até tomar todos os medicamentos para poder voltar para casa. Ao todo foram 60 dias no hospital para me recuperar totalmente”, revela.

 

A gratidão é visível no depoimento do funcionário público. “É claro que eu sinto falta do pé, mas não fico murmurando. Eu nunca questionei Deus, nem o porquê, nem para que que ele me tirou esse pé. Mas olha, a forma como Deus direcionou pessoas maravilhosas, no Hospital Brasília, é fora do padrão de comentários. A equipe que me atendeu foi a causa de eu não ter ido parar num caixão. Da faxineira aos médicos, todos me trataram muito bem. Sempre que posso vou lá levar um rodízio de pizza, um presentinho, para poder agradecer tudo o que fizeram por mim. Os meus amigos do moto clube Missionário Moto Clube Cristão e minha família também nunca me abandonaram”, finaliza.

 

O que fazer em um acidente de trânsito?

 

De acordo com o especialista em trauma do Hospital Brasília Rodrigo Caselli, os acidentes de trânsito podem causar desde ferimentos leves até lesões mortais. “As fraturas de membros e os traumatismos cranianos estão entre as lesões mais comuns, seguidas dos traumatismos no tórax, no abdome e na pelve. Frequentemente essas lesões podem ser combinadas, causando o chamado politraumatismo, normalmente  é grave e necessita de cuidados especializados na sua condução”, explica.

 

A seguir, o médico dá cinco dicas sobre o que fazer em caso de acidentes e como manter a segurança no trânsito:

 

1. Sinalize. No caso de acidentes de trânsito, a primeira preocupação deve ser com a segurança da cena. Sinalizar adequadamente o local e imediatamente ligar para o serviço de emergência. Após isso, se possível e se tiver segurança e conhecimento, tentar ajudar a vítima, contenção de sangramentos e verificação de sinais de dificuldade respiratória.

2. Nunca coloque a sua segurança em risco para ajudar em acidentes de trânsito, pois você pode virar uma vítima também.

3. Nunca pare no meio da via ou corra para ajudar alguém sem a devida sinalização e cuidados.

4. Nunca reduza a velocidade além do necessário para ficar “olhando” um socorro ou resgate, isso pode causar mais acidentes.

5. Use equipamentos de segurança. Cinto de segurança e cadeirinhas são equipamentos que têm um fator fundamental na redução de mortes e gravidades das lesões. Mas, para isso, devem ser usados da maneira correta, como especificados nos manuais, em conjunto com o respeito às outras normas de trânsito.

 

Maio Amarelo

 

Criada em 2014, a campanha Maio Amarelo visa a unir o Poder Público e sociedade civil a fim de promover ações de conscientização sobre a segurança viária e o alto número de mortes no trânsito. Saiba mais sobre o movimento em: https://maioamarelo.com/

Postar um comentário

0 Comentários