MPDFT obtém condenação de PM que matou colega de corporação

Policial foi condenado a 24 anos de reclusão e à perda do cargo


Foto: Renato de Castro.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) obteve a condenação do policial militar Jamir Arthur Langkamer Júnior a 24 de anos de reclusão pelo homicídio duplamente qualificado do colega de corporação Helton Carlos de Jesus. O réu também foi condenado à perda do cargo de policial.

O Núcleo do Tribunal do Júri e Defesa da Vida atuou no plenário junto com a 3ª Promotoria Criminal de Águas Claras. Os jurados acataram a tese apresentada pelo MPDFT e consideraram o réu culpado por homicídio. A tese de legítima defesa foi afastada. Em razão da aplicação da Lei Anti Crime, o juiz determinou o cumprimento imediato da pena e negou ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Entenda o caso

Em de agosto de 2012, Jamir Arthur atirou quatro vezes contra Helton Carlos, também policial militar. A vítima havia se desentendido com o proprietário da boate Real Show, em Águas Claras, em razão de não querer pagar os 10% de serviço da conta. O proprietário telefonou para o acusado, que foi até a boate, abordou e matou Helton.

A 1ª Promotoria do Tribunal do Júri Taguatinga denunciou Jamir Arthur por homicídio duplamente qualificado. Com a criação do Fórum de Águas Claras, o processo foi redistribuído.

Postar um comentário

0 Comentários